O Brasil diante do Brexit
BREXIT

O Governo brasileiro vem tomando uma série de medidas para tentar minimizar os riscos do Brexit para o Brasil e, ao mesmo tempo, mapear eventuais oportunidades decorrentes da saída do Reino Unido da União Europeia (UE).

Somente no ano de 2019, cerca de 1,7 mil empresas brasileiras exportaram aproximadamente US$ 3 bilhões em bens para o mercado britânico. O Reino Unido é a sexta maior economia mundial e um dos principais mercados importadores globais. No setor de alimentos, por exemplo, importa 50% do que consome. Com o Brexit, empresas brasileiras do setor poderiam disputar novas fatias desse mercado.

Assim, o esforço do Governo divide-se em três vertentes principais:

(i) avaliação dos tratados existentes, para garantir que o Brexit não afete negativamente a malha de acordos entre o Brasil e o Reino Unido;

(ii) acompanhamento do Brexit do ponto de vista dos interesses migratórios dos brasileiros; e

(iii) monitoramento de regras de comércio e investimentos, com vistas à manutenção dos fluxos bilaterais e à identificação de eventuais oportunidades.

A presente plataforma é voltada para a terceira vertente. O projeto de monitoramento comercial, denominado “Brazil Brexit Watch”, traduz-se em ação coordenada da Embaixada do Brasil em Londres e da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil).

Além da constituição desta plataforma, foi realizada, no âmbito do projeto “Brazil Brexit Watch”, sondagem de percepção do empresariado nacional sobre o tema. Com esse propósito, questionário foi enviado para mais de duas mil empresas no Brasil. 

Resultados da pesquisa apontaram que 74% das empresas respondentes acreditam que o Brexit poderá impactar suas exportações para o Reino Unido. Destas, 65% acreditam que o impacto poderá ser negativo, 19%, positivo, e 15% afirmam que depende ou não sabem.

Entre os principais impactos negativos citados, estão a possibilidade de aumento de custos logísticos e alfandegários, entraves relacionados às exportações via Europa, maiores impostos de importação, exigências de novos cerificados distintos dos da UE e imposição de barreiras tarifárias e não tarifárias. Entre os potenciais impactos positivos, destaca-se a possibilidade de melhoria das condições de competitividade dos produtos brasileiros, seja por imposição de impostos de importação aos produtos europeus, seja por redução de tarifas para produtos brasileiros.

Segundo o estudo, a maioria das empresas está aguardando definição quanto aos novos requisitos de comércio com o Reino Unido para poder tomar as decisões e medidas de adequação necessárias, não havendo adotado medidas de antecipação de riscos.

Em fevereiro de 2020, como mais uma iniciativa do Brazil Brexit Watch, foi realizado Webinar voltado para o setor privado brasileiro, com o objetivo de apresentar panorama inicial sobre o Brexit e pontos de atenção para as empresas exportadoras brasileiras.

Por fim, ainda no âmbito do projeto, em maio foi lançada a primeira edição da newsletter "Conexão Londres". Trata-se de uma série de newsletters a serem lançadas ao longo de 2020 e início de 2021,com o intuito de informar sobre mudanças relativas ao Brexit e possíveis impactos para o setor exportador brasileiro. A newsletter é enviada por meio eletrônico e seu conteúdo encontra-se disponível nas seções finais desta plataforma, sob o título Newsletter.