O Brasil diante do Brexit
BREXIT

O Governo brasileiro vem tomando uma série de medidas para tentar minimizar os riscos do Brexit para o Brasil e, ao mesmo tempo, mapear eventuais oportunidades decorrentes da saída do Reino Unido da União Europeia (UE).

O esforço do Governo divide-se em três vertentes principais:

(i) avaliação dos tratados existentes, para garantir que o Brexit não afete negativamente a malha de acordos entre o Brasil e o Reino Unido;

(ii) acompanhamento do Brexit do ponto de vista dos interesses migratórios dos brasileiros; e

(iii) monitoramento de regras de comércio e investimentos, com vistas à manutenção dos fluxos bilaterais e à identificação de eventuais oportunidades.

A presente plataforma é voltada para a terceira vertente. O projeto de monitoramento comercial, denominado “Brazil Brexit Watch”, traduz-se em ação coordenada da Embaixada do Brasil em Londres, da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) e da Câmara de Comércio do Brasil no Reino Unido.

Além da constituição desta plataforma, foi realizada, no âmbito do projeto “Brazil Brexit Watch”, sondagem de percepção do empresariado nacional sobre o tema. Com esse propósito, questionário foi enviado para mais de duas mil empresas no Brasil. 

Resultados da pesquisa apontaram que 74% das empresas respondentes acreditam que o Brexit poderá impactar suas exportações para o Reino Unido. Destas, 65% acreditam que o impacto poderá ser negativo, 19%, positivo, e 15% afirmam que depende ou não sabem.

Entre os principais impactos negativos citados, estão a possibilidade de aumento de custos logísticos e alfandegários, entraves relacionados às exportações via Europa, maiores impostos de importação, exigências de novos cerificados distintos dos da UE e imposição de barreiras tarifárias e não tarifárias. Entre os potenciais impactos positivos, destaca-se a possibilidade de melhoria das condições de competitividade dos produtos brasileiros, seja por imposição de impostos de importação aos produtos europeus, seja por redução de tarifas para produtos brasileiros.

Segundo o estudo, a maioria das empresas está aguardando definição quanto aos novos requisitos de comércio com o Reino Unido para poder tomar as decisões e medidas de adequação necessárias, não havendo adotado medidas de antecipação de riscos.

Em fevereiro de 2020, como mais uma iniciativa do Brazil Brexit Watch, foi realizado Webinar voltado para o setor privado brasileiro, com o objetivo de apresentar panorama inicial sobre o Brexit e pontos de atenção para as empresas exportadoras brasileiras.

No ano de 2019, cerca de 1,7 mil empresas brasileiras exportaram aproximadamente US$ 3 bilhões em bens para os Reino Unido. O país é a sexta maior economia mundial e um dos principais mercados importadores globais. No setor de alimentos, por exemplo, importa 50% do que consome. Com o Brexit, empresas brasileiras do setor poderiam disputar novas fatias desse mercado.